quinta-feira, 4 de novembro de 2010

SINTOMAS DO HIV E AIDS (SIDA)

Saiba quais são os sintomas iniciais da infecção pelo HIV e quais doenças definem a AIDS (SIDA)

Ao contrário do que muita gente pensa, ser portador do HIV não é igual a ter AIDS (SIDA). Para o diagnóstico de AIDS é preciso além da presença do vírus, a coexistência de doenças pela imunossupressão. Algumas pessoas podem ter HIV durante anos e não desenvolver AIDS.

Logo após a contaminação pelo vírus, pode ocorrer um quadro chamado de infecção aguda pelo HIV, que nada tem a ver com AIDS.

Neste texto vou falar sobre 2 quadros clínicos causados pelo HIV: a.) Infecção primária ou aguda pelo HIV e

b.) AIDS

Sintomas HIV - AIDSa.) INFECÇÃO AGUDA PELO HIV

Uma grande quantidade de sinais e sintomas podem estar associados a infecção aguda pelo HIV. Muitos deles sintomas inespecíficos que ocorrem comumente em uma gama de outros quadros infecciosos, como pode-se ver na figura ao lado (clique para ampliar).

O sintoma mais comum é a febre (38ºC a 40ºC), que ocorre em mais de 80% dos casos.

Também muito comuns são:
  • Faringite sem aumento da amígdalas e sem presença de pus ( leia: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE )
  • Lesões de pele (rash) que ocorrem 48 a 72h após o início da febre e costumam durar entre 5 e 8 dias. Este rash costuma se apresentar como lesões arredondadas, menores que 1 cm, avermelhadas, com discreto relevo e distribuídas pelo corpo, principalmente no tórax, pescoço e face. Também podem acometer solas dos pés e palmas das mãos.
  • Aumento de linfonodos (ínguas) principalmente em axilas e pescoço.
  • Dores articulares, musculares e cefaléia (leia: DOR DE CABEÇA - ENXAQUECA, CEFALÉIA TENSIONAL E SINAIS DE GRAVIDADE)
Em 10% dos casos pode-se ter também aumento de fígado e/ou baço, úlceras orais, anais e genitais, diarréia e vômitos (podendo levar ao emagrecimento de até 5 kg).

A úlceras parecem estar relacionadas ao ponto de entrada do vírus nas mucosas, semelhante ao que ocorre na sífilis (leia: SINTOMAS DA SÍFILIS). Úlceras orais indicam contaminação por sexo oral ativo e a úlceras anais por sexo anal passivo. Do mesmo modo, também pode haver úlceras vaginais e penianas.

Existem também casos descritos de hepatite, pneumonia e pancreatite (leia: PANCREATITE CRÔNICA E PANCREATITE AGUDA) causados pela infecção aguda do HIV.

Em raros casos também pode ocorrer candidíase oral ou vaginal.

Tipicamente os sintomas de infecção aguda pelo HIV iniciam-se entre 2 e 4 semanas após a exposição. Porém, já foram descritos casos com até 10 meses de intervalo.

Como se pode notar, são todos sintomas inespecíficos e nenhum deles consegue definir o diagnóstico de infecção aguda pelo HIV. Mais importante que os sintomas em si, é o tempo de intervalo entre o comportamento de risco (sexo sem preservativos ou compartilhamento de agulhas) e o aparecimento dos mesmos.

De qualquer modo, o diagnóstico não é clínico já que várias doenças têm o mesmo quadro, sendo necessário a realização das sorologias ou da pesquisa do vírus para confirmação (leia: SOROLOGIA PARA HIV / AIDS. COMO E QUANDO TESTAR ?).

Os pacientes na fase aguda do HIV apresentam carga viral elevadíssima estando portanto altamente contagiosos neste momento(leia: SAIBA COMO SE PEGA E TRANSMITE HIV E AIDS (SIDA)).

O quadro de infecção aguda pode durar até 2 semanas.

b.) SINTOMAS DA AIDS (SIDA)

O término da infecção aguda costuma coincidir com a positivação da sorologia pela produção de anticorpos específicos contra o HIV. Nesta fase a carga viral cai e se estabiliza em níveis baixos durante muitos anos.

O HIV ataca principalmente as células de defesa chamadas de linfócitos CD4. A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA ou AIDS) é um quadro de imunossupressão e infecções oportunistas devido aos níveis baixos de linfócitos CD4.

Chamamos de infecção oportunista aquelas que ocorrem aproveitando-se da queda no nosso sistema imunológico. Infecções oportunistas existem não só na AIDS, mas também em doentes transplantados, em quimioterapia, com câncer, ou qualquer outra condição que leve a imunossupressão.

Para se estabelecer o diagnóstico de AIDS é preciso estar infectado pelo HIV e:
1.) ter uma contagem de linfócitos CD4 menor que 200 células/mm3; ou
2.) apresentar uma das doenças definidoras de AIDS, que são:

  • Candidíase pulmonar ou traqueal
  • Candidíase de esôfago (leia: O QUE É A CANDIDÍASE ?)
  • Câncer de colo uterino invasivo
  • Coccidioidomicose disseminada (uma infecção fúngica)
  • Criptococose extra-pulmonar (também infecção fúngica)
  • Criptosporíase intestinal (doença parasitária)
  • Citomegalovírus (doença viral)
  • Encefalopatia do HIV
  • Herpes simples crônica (mais de 1 mês de duração) ou disseminada (leia: DST - HERPES LABIAL E GENITAL)
  • Histoplasmose disseminada (infecção fúngica)
  • Isosporíase intestinal crônica (doença parasitária)
  • Sarcoma de Kaposi's (neoplasia típica da AIDS)
  • Linfoma de Burkitt
  • Linfoma do sistema nervoso central (leia: O QUE É UM LINFOMA ? )
  • Infecção disseminada por Mycobacterium avium complex (infecção bacteriana)
  • Tuberculose disseminada (leia: SINTOMAS DE TUBERCULOSE )
  • Pneumonia pelo fungo Pneumocystis carinii (também chamado Pneumocystis jirovecii)
  • Pneumonia recorrente (leia: QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA PNEUMONIA ? )
  • Leucoencefalopatia multifocal recorrente (doença viral)
  • Sepse por salmonela (leia: O QUE É SEPSE / SEPSIS E CHOQUE SÉPTICO ?)
  • Toxoplasmose cerebral
  • Síndrome consumptiva (emagrecimento) do HIV

As doenças listadas acima são típicas de pacientes com imunossupressão, não necessariamente por AIDS, mas a sua presença indica obrigatoriamente a investigação do HIV.

Não existe um quadro clínico único da AIDS. O quadro clínico vai depender do tipo de doença que se desenvolver e os órgãos afetados. Se você me perguntar qual os sintomas da AIDS, eu vou responder, depende.

A imunossupressão além de facilitar o surgimento de infecções, também aumenta a frequência de neoplasias malignas. Cânceres como o de colo uterino (leia: SINTOMAS DO HPV E CÂNCER DO COLO DO ÚTERO) se tornam extremamente agressivos e linfomas são muito mais frequentes na AIDS que em pessoas sadias. Outros como o Sarcoma de Kaposi são típicos de imunossuprimidos, principalmente em homossexuais. (leia: CÂNCER (CANCRO) - SINTOMAS E DEFINIÇÕES)

Aquela imagem do paciente com AIDS, caquético, cheio de lesões de pele e candidíase oral, já não é mais tão comum. O tratamento avançou muito nos últimos anos e boa parte dos doentes mantém seus níveis de CD4 elevados, impedindo a ocorrência de infecções oportunistas.

Mas o HIV ainda não tem cura e ainda mata. Na verdade, quem leva ao óbito não é o HIV, mas sim as infecções oportunísticas e neoplasias secundárias a imunossupressão.

Leia mais: http://www.mdsaude.com/2009/07/sintomas-hiv-aids-sida.html#ixzz14NgsmMuJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário